CEO da Uber pede ajuda financeira a Donald Trump para motoristas

CEO da Uber pede ajuda a Trump para pagar motoristas afetados

A medida em que o novo coronavírus avança entre os países e seus respectivos governos adotam medidas de isolamento para frear o seu crescimento, a economia regional, nacional e mundial acaba sofrendo cada vez mais impactos. Com a quarentena, os microempreendedores, autônomos e desempregados acabam sendo os mais afetados, como é o caso dos motoristas de aplicativos.

Nessa segunda-feira (23) o CEO da Uber, Dara Khosrowshahi, enviou uma carta diretamente ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para solicitar ajuda financeira a todos os motoristas que tiveram os seus rendimentos significativamente afetados em razão da crise gerada pela pandemia.

“Peço respeitosa e urgentemente que o estímulo econômico que você está considerando, juntamente com quaisquer outras medidas legislativas futuras em resposta à COVID-19, inclua proteções e benefícios para os trabalhadores independentes, não apenas aos empregados”, disse Dara.

“Meu objetivo ao escrever para você não é pedir um resgate para a Uber, mas sim apoio aos trabalhadores independentes em nossa plataforma e, uma vez que passemos pela crise imediata, a oportunidade de fornecer legalmente a eles uma rede de segurança para o futuro.”, continuou.

Segundo Dara, a Uber passou uma grande parte do seu tempo combatendo projetos de leis e políticos que tentavam (e tentam) de alguma forma considerar o trabalho de motorista de aplicativo como uma profissão formal – como acontece em São Paulo – ao invés do atual modelo de prestação de serviço, onde os mesmos podem trabalhar onde, quando e no momento que quiserem.

Sendo assim, se a empresa tomasse a postura de ajudar financeiramente todos os seus motoristas neste momento, tal mudança acabaria exigindo que ela também assumisse despesas adicionais para protegê-los, como os custos com planos de saúde. Isso poderia mudar o modelo de negócios e tornar as viagens muito mais caras aos passageiros.

Por fim, Khosrowshah comentou que a Uber não está buscando considerar os seus motoristas como trabalhadores formais, mas recorrendo ao governo para pedir ajuda aos motoristas como cidadãos que são e precisam de um suporte neste momento tão difícil. E vale lembrar que atualmente as solicitações de viagens no Uber já caíram quase 80% em todo o mundo, o que faz todo o sentido pedir ajuda a Donald Trump.